Gestores da Sesa participam de encontro com novo secretário da Saúde

11 de janeiro de 2019 - 20:39 # # #

Assessoria de Comunicação da Sesa
Repórter: Cristiane Bonfim
Fotos: Fátima Holanda / Débora Morais

A rede da Secretaria da Saúde do Ceará conta com nove milhões de potenciais usuários. A Sesa é responsável por assegurar a formulação e gestão das políticas públicas na área e prestação da assistência à saúde individual e coletiva, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida dos cearenses. Com foco nesses resultados, o novo secretário da saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins Rodrigues, ouviu gestores nos dias 9 e 11 de janeiro.

Ao longo das apresentações, coordenadores de diversas áreas expuseram as atribuições de suas equipes e deram informações sobre o papel que têm nos serviços prestados pela Secretaria. Cada dia de reunião contou com cerca de 100 participantes. “Acho que o momento foi muito rico porque nós tivemos a chance de conhecer o que cada área faz e de eles mesmos se conhecerem mais. Para quem quer trabalhar inovações, valorização do trabalho e das pessoas, esse evento foi um ponto inicial muito bom”, avaliou o secretário, que é mais conhecido como Cabeto. O novo gestor é médico cardiologista e professor da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Os secretários executivos de Vigilância e Regulação de Saúde, Marcos Gadelha, que responde interinamente pela Sesa, e de Planejamento e Gestão Interna, João Marcos Maia, além de outros gestores da Sesa, também acompanharam as apresentações realizadas no auditório Waldir Arcoverde, na sede da Secretaria.

 

Ao final do evento, foram anunciadas algumas prioridades da gestão. “Alguns pontos que a gente vê como ações transversais ficaram muito claras: como a relação da nossa rede de saúde como um todo com os processos de ensino, pesquisa e formação. Esse é um dos pontos fundamentais que nós vamos construir juntos”, declarou o secretário Cabeto.

Ele também pretende que a saúde pública esteja em permanente autocrítica. A definição clara de papéis, a integração maior dos setores, assim como o estabelecimento e acompanhamento de metas e indicadores mensuráveis, são algumas das propostas dele para melhorar indicadores da Saúde no Ceará.

Rede própria

O Governo do Ceará conta atualmente com 11 hospitais, dez unidades ambulatoriais, 19 policlínicas em funcionamento que atendem as cinco macrorregiões de saúde do Estado (Fortaleza, Sobral, Sertão Central, Litoral Leste/ Jaguaribe e Cariri) e três em construção: Crato, Canindé e Maracanaú. Há também 25 Centros de Especialidades Odontológicas, sendo 22 regionais e três na capital; 34 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs 24h); 136 municípios atendidos pelo SAMU 192 Ceará, além de Fortaleza e Sobral, que têm SAMU com gestão municipal.

A superintendente da Rede de Unidades da Sesa, Tânia Coelho, foi uma das participantes do encontro com gestores. Ela citou melhorias que vêm sendo realizadas, como uma maior integração entre as unidades hospitalares e implantação de núcleos de qualidade em cada hospital da rede, e destacou que há desafios a serem vencidos.  “A maior conquista da SRU foi que todas as unidades passaram a se ver como uma rede”, destacou.

Como formuladora e gestora de políticas públicas, a Secretaria também precisa realizar permanentemente o monitoramento de indicadores da saúde. A coordenadora de Vigilância em Saúde, Daniele Queiroz, apresentou como esses dados vêm sendo aperfeiçoados e utilizados para embasar melhor decisões de gestão no Ceará.“Esse foi um momento importantíssimo porque nós já estávamos preparando um relatório de gestão e a gente pôde compartilhar não só com o staff da secretaria, como com todas as outras áreas técnicas e coordenadorias, as atividades que foram desenvolvidas pela Covig. A proposta foi excelente porque a gente também pôde conhecer quais são os projetos estratégicos das outras áreas”, disse Daniele Queiroz.

A coordenadora de Assistência Farmacêutica, Fernanda Cabral, também faz uma avaliação positiva da reunião. “A assistência farmacêutica é entendida como peça chave para o bom funcionamento da Secretaria da Saúde do Estado, garantindo o acesso à população cearense aos medicamentos e aos diversos componentes da assistência farmacêutica. Hoje foi um dia especial porque foram colocados todos os avanços que nós conseguimos ter, mas sem dúvida nenhuma são inúmeros os desafios nos próximos quatro anos de gestão”, declarou.

A secretária executiva da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), Vera Coelho, apresentou indicadores e metas que o estado do Ceará tem a cumprir na área da Saúde. Também foram temas de apresentações os setores administrativo, financeiro, jurídico, planejamento de pessoal, regulação e auditoria, ouvidoria, assim como regionais de saúde, políticas de atenção à saúde, controle social e Escola de Saúde Pública. Ouvidoria, comunicação e desenvolvimento institucional também tiveram apresentações realizadas durante a reunião.

Visita aos Hospitais

A rede própria de hospitais do Governo do Ceará começou a ser visitada pelo novo gestor nesta semana. O Hospital Geral de Fortaleza (HGF), que completa 50 anos em 2019, foi o primeiro a receber o secretário numa visita que durou cerca de quatro horas no dia 10 de janeiro. Com 562 leitos e oferta de serviços de alta complexidade, a unidade é uma das mais demandadas do Ceará.

O secretário esteve em setores como emergência, centro cirúrgico eletivo, sala de Recuperação da Emergência (SR), Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (Utin), Obstetrícia, Unidade de Terapia Intensiva Adulto (UTI), Unidade de Acidente Vascular Cerebral (UAVC) e setor de transplante. Os secretários executivos João Marcos Maia e Marcos Gadelha, além de outros gestores da Sesa, também acompanharam a visita em que o diretor da unidade, João Batista, apresentou os serviços do HGF e outras informações sobre a gestão do hospital.