Sesa mobiliza a população para busca ativa de casos de tuberculose

22 de março de 2010 - 17:40

Nesta terça-feira, 23, a Secretaria da Saúde do Estado inicia as atividades da semana alusiva ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose – 24 de março. Na abertura da Semana de Combate à Tuberculose será feito o lançamento do Plano CAMS (Comunicação, Advocacia e Mobilização Social), no auditório do Hospital de Messejana, na Av. Frei Cirilo, 3480, Messejana, a partir das 8h30min.  O plano foi elaborado com o apoio do Fundo Global Tuberculose Brasil com a finalidade de mobilizar a sociedade para a busca ativa de casos sintomáticos respiratórios no Estado.

Ainda na terça-feira, acontecerá a apresentação de fantoches com a peça “O Brasil contra a Tuberculose”, no Auditório da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), na Av. Barão de Studart, 1980, Aldeota. Na quarta-feira, 24, será divulgado pelo Laboratório Central de Saúde Pública o Boletim Informativo da Tuberculose no Ceará. À tarde, das 14 às 16 horas, será transmitida do auditório da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC), na Rua Professor Costa Mendes, 1608, Bloco Didático, a tele-conferência Atualização no Tratamento da Tuberculose, que será acompanhada por 91 municípios participantes da rede Telessaúde no Ceará.

A programação da Semana de Combate à Tuberculose se estenderá até sexta-feira, 26, com atividades em diversos municípios do Estado e bairros de Fortaleza, envolvendo palestras, treinamentos, ações educativas e informativas, mobilização pelas rádios locais e busca ativa de casos.

Identificada há quase 130 anos, doença atinge 1/3 da população mundial. Existem várias formas de tuberculose (pulmonar, meníngea, miliar, óssea, renal, cutânea, genital entre outras). A forma mais frequente e mais contagiosa é a pulmonar. Um paciente da forma pulmonar da doença, se não tratado, em um ano pode infectar de 10 a 15 pessoas. A via aérea é a principal via de transmissão da tuberculose. A maioria dos casos ocorre em pacientes do sexo masculino e em idade produtiva, prejudicando ainda mais as condições de vida das famílias carentes, maiores vítimas da tuberculose.

Entre as principais causas do contágio estão a falta de saneamento básico e alimentação de baixa qualidade nutricional, somadas à falta de informação sobre a doença. No Brasil, os estados do Amazonas, Rio de Janeiro e Ceará registram a maior incidência de casos. Toda a população brasileira tem direito ao diagnóstico e tratamento gratuitos no Sistema Único de Saúde

No Ceará, no ano de 2009, foram notificados pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), 3.168 novos casos de tuberculose, correspondendo a um coeficiente de incidência de 37,1 por 10 mil habitantes, índice que ficou abaixo do registrado em 2008, quando ocorreram 3.721 novos casos, ou seja 44,0 por 100 mil habitantes.