Lacen realizará 500 exames de DNA por mês

30 de dezembro de 2008 - 19:24

O Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) vai eliminar em até oito meses a fila de espera de 4 mil exames de DNA. Na terça-feira, 30 de dezembro, o governador Cid Gomes e o Secretário da Saúde, João Ananias, inauguraram o Laboratório de Biologia Molecular, equipado com seqüenciador genético com capacidade de realizar 500 exames por mês. O exame de DNA realiza o teste de comprovação de paternidade e vai beneficiar mães que reclamam na Justiça o pagamento de pensão alimentícia.

A partir do dia 5 de janeiro, o Laboratório de Biologia Molecular trabalhará em regime de plantão, inclusive aos sábados, até as 16 horas, para a realização de exames de DNA. A a Secretaria da Saúde do Estado manterá contato com a Vara da Família para que procure as pessoas cadastradas na lista de espera para o exame. Os atendidos conseguiram autorização da Justiça para a realização do exame de comprovação de paternidade.

Para a implantação do Laboratório de Biologia Molecular, o Governo investiu, em recursos do Tesouro Estadual, R$ 355.708,04 na aquisição do seqüenciador, acrescidos de recursos que totalizam R$ 1 milhão para a adaptação de área física e aquisição de equipamentos e insumos no Lacen.

Antes do seqüenciador, o Estado mantinha convênio com a Faculdade de Farmácia da Universidade Federal do Ceará (UFC) para a realização de exames de DNA. O laboratório da universidade realizava apenas 55 exames por mês, insuficientes para atender a demanda. ¨Com a compra do equipamento o Governo do Estado acaba com a fila e um grande problema para milhares de famílias que não têm dinheiro para pagar o exame de comprovação de paternidade para conseguir pensão alimentícia¨, afirma o Secretário da Saúde João Ananias.

Nos laboratórios particulares, o preço do exame de DNA varia entre R$ 350 e R$ 700. Além de agilizar os exames e atender um maior número de famílias, o Governo do Estado faz economia nas contas públicas. Com a compra do equipamento, a Secretaria da Saúde do Estado terá economia mensal de R$ 22 mil com a realização de exames, ordenados pela justiça.