lai

Secretarias e Órgãos

Telefones úteis

Redes Sociais

Página Inicial Notícias Teste rápido e vacinação contra hepatites virais são intensificados
voltar imprimir
Aumentar texto Diminuir texto
Teste rápido e vacinação contra hepatites virais são intensificados
Qua, 04 de Julho de 2018 16:39

alt

Como parte do cronograma de ações da campanha Julho Amarelo, uma estratégia de mobilização contra as hepatites virais, a Secretaria da Saúde do Ceará realizou na manhã desta quarta-feira, 4 de julho, teste rápido e vacinação no Centro Integrado de Diabetes e Hipertensão (CIDH), do Governo do Ceará. Foram 106 testes e 50 vacinações. “Eu nunca tinha feito esse exame, não sabia que era tão importante. É muito importante porque hoje em dia tem muito caso de cirrose, câncer de fígado e a gente tem que se prevenir”, declarou a aposentada Margarida Dantas, 67, paciente do CIDH.

Margarida mora em Fortaleza, no bairro Barra do Ceará, e há 20 anos faz tratamento de hipertensão e diabetes no CIDH. Ela soube da programação durante a consulta de rotina no Centro, na semana passada. Foi a primeira vez que a aposentada fez o teste rápido e tomou a vacina contra a Hepatite B. “Vim exclusivamente para fazer esse exame. E não faz medo, é prático e a gente ainda tem a oportunidade de se vacinar. A prevenção é importante, a gente quer viver bem muito”, disse.

alt

As principais medidas de controle das hepatites virais de transmissão sanguínea e sexual constituem-se na adoção de medidas de prevenção como o incentivo ao uso do preservativo nas parcerias sexuais, o não compartilhamento de objetos contaminados como lâminas de barbear e de depilar, escovas de dente, alicates e acessórios de manicure e pedicure, agulhas, seringas e instrumentos para uso de substâncias injetáveis, inaláveis (cocaína) e pipadas (crack). Os indivíduos devem ser orientados quanto aos mecanismos de transmissão dessas doenças e sobre a disponibilidade da vacina contra Hepatite B.

De acordo com a coordenadora do Comitê de Hepatites Virais da Sesa, a médica Elodie Hyppolito, as hepatites B e C são as mais preocupantes, pela ausência de sintomas. “Quase nunca dão sintomas, elas não aparecem no exame de rotina, no seu check-up habitual, e só aparecerão se você fizer o seu teste específico para hepatites B e C. Então elas só dão sintomas numa fase muito tardia, em que esse indivíduo já é cirrótico e ele vai desenvolver água na barriga, inchaço, olhos amarelados. Mas nós não queremos diagnosticar nessa fase, nós queremos diagnosticar lá atrás para tratá-lo e evitar esse tipo de evolução”, alerta.

alt

Há também as hepatites C e a medicamentosa, as quais requer a mesma atenção no cuidado quanto à prevenção, além da automedicação que se torna um perigo para o organismo, evoluindo para indicação de transplantes. Segundo Eloide, a Hepatite C é uma das principais causas de câncer no fígado. “A Hepatite C é a maior causa de transplante de fígado no Brasil e a maior causa de hepatocarcinoma no país. E elas matam sim, infelizmente, todos os dias. Já a hepatite medicamentosa é extremamente comum. As pessoas têm o hábito de se automedicarem com anti-inflamatórios que são drogas que estão no topo da lista. Mas hoje, infelizmente, o uso de suplementos alimentares, fitoterápicos, ervas, que as pessoas acreditam que não possam trazer dano à saúde, causam hepatites fulminantes e mesmo indicação de transplante de fígado”, afirma.

Teste rápido é gratuito

Uma das principais ferramentas para a ampliação do diagnóstico da infecção para hepatite B e C é a oferta do teste rápido para as pessoas acima de 40 anos ou que apresentem alguma vulnerabilidade para contrair as infecções, como história de transfusão sanguínea antes de 1993, compartilhamento de material perfurocortante, usuários de álcool e outras drogas, múltiplos parceiros sexuais, entre outros. “Os testes de hepatite B e C são distribuídos gratuitamente pelo Ministério da Saúde para todas as unidades básicas de saúde”, ressalta Elodie Hyppolito.

alt

“O teste é rápido, utiliza o sangue da polpa digital, apenas uma gotinha. Em mais ou menos 20 minutos a meia-hora, você tem o resultado do teste. Tanto pode ser reagente, ou seja, positivo, ou não reagente, que seria negativo”, explica Nadja de Deus, técnica em Hepatites Virais do Núcleo de Vigilância Epidemiológica da Sesa.
Vacinar é proteger

A vacina contra hepatite B, disponível desde 1998 no Calendário Nacional de Vacinação do Programa Nacional de Imunizações (PNI), é ofertada para a população independentemente da idade ou condições de vulnerabilidade. Para a prevenção da hepatite B, o PNI também disponibiliza, desde 2012, a vacina pentavalente, que possui o antígeno de superfície da hepatite B (recombinante) como um dos componentes. A vacina é ofertada para crianças menores de um ano de idade. Já a vacina contra hepatite A, introduzida em 2014 pelo PNI, é fornecida para o público-alvo de crianças menores de cinco anos de idade.

Programação

Para dar continuidade à mobilização, que envolve os 184 municípios cearenses, a Sesa promoverá nesta sexta-feira, 6, mais um teste rápido e vacinação para hepatite B. Será das 6 às 10 horas, no Centro de Treinamento e Desenvolvimento Humano (CTDH) do Corpo de Bombeiros Militar, próximo à Escola de Aprendizes Marinheiros do Ceará. A ação será para os idosos que Projeto Saúde, Bombeiros e Sociedade.

alt

No período de 11 a 23 de julho, o Núcleo de Saúde das centrais de Vapt Vupt Antônio Bezerra (dias 11, 16 e 23) e Messejana (dias 12, 17 e 24) terá palestras sobre medidas de prevenção e controle conra Hepatites Virais, às 9 horas.

Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais

Na 63ª Assembleia Mundial de Saúde realizada em 2010, foi instituído o dia 28 de julho como o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais. É uma data para mobilização mundial, nacional, estadual e local que busca envolver todas as esferas do governo e setores da sociedade civil na luta contra essa enfermidade. O diagnóstico precoce e preciso das hepatites virais permite um tratamento adequado, impactando diretamente na qualidade de vida do indivíduo e, consequentemente, impedindo que desenvolva complicações em longo prazo, reduzindo custos para a saúde e o risco de óbito para o paciente.


Fotos: Assessoria de Comunicação da Sesa

Assessoria de Comunicação da Sesa
Cristiane Bonfim/ Marcus Sá/ Helga Rackel/ Fátima Holanda
(85) 3101.5221 / 3101.5220
www.facebook.com/SaudeCeara

 

Calendário

Outubro 2018
D 2a 3a 4a 5a 6a S
30 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31 1 2 3